segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O que fazer no Porto - 1ª Parte

Depois do Rio de Janeiro, Porto foi a cidade mais bonita que já visitei. Para ter certeza de que não estou mentindo, vá ao bairro da Ribeira, na margem direita do Rio Douro. É nesse ponto que está a paisagem mais memorável de toda cidade. De um lado, Porto histórica, com suas casas coloridas de telhados marrons, umas juntinhas das outras. Do outro, o município de Vila Nova de Gaia, com os armazéns vinícolas e área verde. No meio, o lindo Rio Douro, o mais importante da cidade e, de bônus, a ponte Dom Luís I. A obra que lembra à Torre Eiffel, não por menos: seu criador, Teófilo Seyrig, era antigo sócio de Gustave Eiffel.

(Para completar a paisagem, os barcos típicos do Rio Douro: os rabelos. São pequenas embarcações usadas para transportar as pipas de vinho do Porto do Alto do Douro, onde são fabricadas, até Vila Nova de Gaia, onde são estocadas e comercializadas)

Essa é só uma das paisagens. Porto também é cheia de ruas apertadas, bonitas e cotidianas, de prédios históricos, de docerias de dar água na boca. Além disso, particularmente, gosto de meias-metrópoles. São aquelas cidades que tem tudo o que queremos em uma metrópole sem ser uma delas. Modernidade, serviços e um clime descompromissado. Agitadas e leves ao mesmo tempo.

Daqui a 10 dias vou estar lá novamente! Passarei dois dias na cidade do Porto na casa de uma prima. Como todos trabalham, fiz um roteiro do que visitar baseado nas informações "internéticas" e na minha antiga viagem. Se querem saber, tem coisa demais. Não pretendo fazer tudo, pois não terei tempo suficiente. Marquei no papel aquilo que tinha prioridade de acordo com minhas preferências pessoais. De toda forma, vou reproduzir aqui o roteiro completo para quem quiser escolher uma ou outra coisa.

(Um belo clique!)

Durante a pesquisa, destaquei um monte de lugares que podiam ser divididas em três passeios, de acordo com a proximidade das atrações. Hoje, o primeiro deles e, depois, os outros dois. Primeiro está o trajeto completo com os pontos mais interessantes sublinhados e, mais abaixo, um resumo das atrações com endereço, horário de visitação e entrada. Os preços são todos para estudantes. Se você não for, paga o dobro. Se se perder nas "direitas e esquerdas" da vida entre no google maps e visite a cidade virtualmente.

1º passeio: Ribeira

Trajeto: Pegar o Funicular do Guindais e parar na estação do Cais da Ribeira. Seguir a direita pelo Cais da Ribeira (na rua paralela ao cais está o restaurante Chez Lapin) e ir à Casa do Infante. Subir a Rua da Alfândega até a Praça Infante D. Henrique. Lá, visitar o Palácio da Bolsa. Ao lado, visitar a Igreja de São Francisco. Descer a Rua Infante D. Henrique e seguir a direita até a Rua Nova da Alfândega. Visitar o Museu dos Transportes e das Comunicações

Pegar um ônibus e voltar ao Cais da Ribeira. Subir a Avenida de Vimara Peres e virar a primeira a esquerda até a Sé Catedral. Voltar ao Cais da Ribeira. Andar pela Avenida Gustave Eiffel e depois atravessar a Ponte D. Luís I por cima (a melhor vista de Porto pelo município de Vila Nova de Gaia). Descer e andar pela Avenida Diogo Leite passeando pela Cais de Gaia.

Funicular dos Guindais
Foi inaugurado em 1891, mas fechado dois anos depois devido a um grave acidente. Em 2004, mais de um século depois, um novo funicular foi projetado no mesmo local. Entre os pontos mais importantes do trajeto do Funicular estão (em ordem) a rua Santa Catarina, a praça da Batalha, o Teatro Nacional São João, a Igreja de Santa Ildefonso, a Estação de São Bento e a Sé Catedral. O Funicular funciona de 8h às 22h de domingo a quarta e 8h às 24h de quinta a sábado e para andar nele é preciso um cartão de transportes Andante de título Z2.

(Descida no Funicular dos Guindais com vista para a Ponte Dom Luís I e o Rio Douro. Foto tirada desse link)


Casa do Infante
Também conhecida como Casa da Rua da Alfândega Velha. É um dos edifícios mais antigos da cidade. Construído em 1325, o local tinha um pátio e duas torres centrais onde funcionavam a Casa da Moeda e algumas habitações. Segundo a tradição popular, o patrono dos descobrimentos portugueses, Infante Dom Henrique, nasceu no local no ano de 1394. O prédio sofreu algumas modificações e passou por uma grande restauração em 1924. Atualmente, abriga o Arquivo Histórico Municipal e do Porto e o Museu Medieval. A casa funciona todos os dias, de 10h às 12h e de 14h às 17h. Dizem as más línguas que vale a pena visitar só por fora...

Palácio da Bolsa
A construção do Palácio começou em 1842. Construída em estilo neoclássico, é considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Atualmente é a Sede da Associação Comercial do Porto e recebe uma série de eventos. O Palácio está aberto de 9h às 18h30 e para entrar é apenas 3 euros

Igreja de São Francisco
É a única igreja gótica da cidade e um dos poucos edifícios medievais. Sua construção remonta ao século 14. Nos séculos 17 e 18 seu interior foi todo revestido de talha dourada, contendo mais de 600 kg de ouro. Não cometam o pecado de chegar depois das 19h30, quando a igreja já está fechada.

(As igrejas barrocas brasileiras, como as de Ouro Preto, foram inspiradas nessas belezuras douradas. Foto tirada desse link)

Museu dos Transportes e das Comunicações
O museu fica no Edifício da Alfândega. Há duas exposições permanentes. O Automóvel no Espaço e no Tempo traz carros, fotos, imagens, peças publicitárias e tudo o que está relacionado ao mundo automobilístico. A outra, Comunicação do Conhecimento e da Imaginação, mostra as diferentes formas de se comunicar. O local também oferece oficinas, mas é preciso agendamento prévio. uma nova exposição, aberta em 2006, busca resgatar e preservar a memória do edifício da Alfândega e da sua história como instituição reguladora das transações comerciais da cidade. Entre terça e sexta-feira, o museu fica aberto de 10h as 18h. Nos fins de semana ele só funciona de 15h as 19h, mas a entrada é gratuita!

Sé Catedral
É o principal edifício religioso da cidade. Começou a ser construído no século 12. Sofreu influência de várias correntes arquitetônicas, principalmente da barroca. Junto a ela está o centro histórico tombado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Funciona como toda igreja, com a diferença que ela fica fechada entre 12h30 e 14h30. A entrada gratuita, mas para subir ao claustro é preciso pagar 3 euros.


(O terreiro da Sé com a Catedral ao fundo (foto tirada desse link). Quando visitei o local, um grupo de dançarinos espanhóis estava descansando e resolveram dançar um pouco para os turistas. Usavam gaitas de fole e movimentos de dança típica!)

Ponte Dom Luís I
Ponte construída sob o Rio Douro para substituir a ponte pênsil que existia no local. Inaugurada em 1887, o projeto saiu das mãos do belga Tófilo Seyrig, sócio de Gustave Eiffel. Toda trabalhada em ferro, a arquitetura se assemelha à Torre Eiffel. É possível atravessá-la por cima ou por baixo. Dela tem-se a vista mais bonita do Porto e de Vila Nova de Gaia.

3 comentários:

  1. Adoro suas pesquisas complexas Ju! Você é a viajante mais disciplinada que conheço, cheia de detalhes e antecedência sobre todas as coisas.
    Porto é linda mesmo né? Fui pra lá acho que em 2008 e aluguei um carro pra descer parando em mil lugares até chegar Lisboa. Delícia!

    ResponderExcluir
  2. Se eu te der R$5,00, vc fica???
    Nao to acreditando que vou ficar 6 meses sem te ver...

    ResponderExcluir
  3. Que nada Rê, das viagens que quero fazer só essa e Paris têm roteiro! As outras estão por fazer!

    Porto é linda demais! Quando fui lá em 2008 fiz o que você fez: desembracamos em Porto e fomos até Lisboa de carro, passando por mil cidades! Um dia posto essa "aventura" por aqui!

    Mandinha: aceito os 5 reais... mas vou trasnformá-los em um lanche de despedida ao invés de um convite pra ficar! Pode ser? =]

    ResponderExcluir